Home > Fale conosco > Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes

Nesta área do site, exibimos nossa lista de perguntas frequentes, segmentada por categorias. Você também pode pesquisar por algum termo específico no campo abaixo.
 
SERVIÇOS
 
1. Para que servem as bases de atendimento ao usuário? Onde o usuário pode encontrá-las na rodovia?
As 12 bases SAU - Serviço de Atendimento ao Usuário estão localizadas, em média, a cada 30 km nas rodovias do Corredor Raposo Tavares. No SAU, o usuário encontra: água, sanitários e o sistema de telepresença "CART Atende!". Por esse sistema, conversando com a atendente, ele consegue informações em tempo real sobre a rodovia, rotas e mapas completos para facilitar sua viagem.
 
2. Quais serviços o usuário pode solicitar pelo 0800?
O usuário pode ligar para o 0800 773 00 90 e solicitar socorro médico e mecânico de maneira fácil e ágil. Nas rodovias duplicadas, o usuário conta ainda com o call box, instalado a cada um quilômetro. Basta apertar o botão e aguardar para ser atendido.
 
3. O serviços têm custo para o usuário?
Não. Os serviços são gratuitos para o usuário das rodovias.
 
4. Quais serviços a CART presta nas rodovias?
A CART disponibiliza atendimento médico, mecânico, água, sanitários e serviço de telepresença nas bases do SAU- Serviço de Atendimento ao Usuário ao longo da rodovia, duplicação e conserva do pavimento.
 
OBRAS  
 
1. Quando serão concluídas as obras de duplicação do Corredor Raposo Tavares?
A recuperação definitiva do pavimento e a duplicação de todo o Corredor Raposo Tavares, conforme o Contrato de Concessão, está prevista ser concluída até 2016. Todo o trecho da SP-225 João Baptista Cabral Rennó sob administração da CART estará duplicado até 2016. Até o final de 2014, o trecho da SP-270 Raposo Tavares administrado pela CART também estará duplicado. 
 
2. Até quando a CART tem a concessão do Corredor Raposo Tavares?
Até março de 2039, conforme prevê o Contrato de Concessão do Corredor Raposo Tavares. O investimento em obras e serviços visa colocar as rodovias da CART entre as melhores do Estado de São Paulo. 
 
3. O que prevê o Contrato de Concessão da CART?
Pelo Contrato de Concessão é direito da CART receber as tarifas de pedágio e as receitas acessórias. O Contrato de Concessão prevê o repasse ao Estado de 3% da arrecadação bruta dos pedágios e outras receitas que venha a ter, com exceção de ganhos de aplicações financeiras e advindas da regularização de acessos na faixa de domínio.
 
4. Quem define as obras realizadas pela CART?
O Poder Público define quais obras serão realizadas e estas já constam no edital disponibilizado na abertura da licitação do lote de concessão. As obras realizadas na rodovia, inclusive com detalhes técnicos de projeto e o cronograma de execução, foram apresentados em audiências públicas realizadas nos municípios, antes da licitação. Na ocasião, os municípios puderam fazer análises e apresentar sugestões.
 
PEDÁGIO
 
1. Quem define o número e os locais do pedágio?
A quantidade e os locais das praças de pedágio foram definidos pelo Poder Público antes da licitação da rodovia. Procura-se fazer com que cada usuário pague proporcionalmente ao trecho percorrido, uma vez que ainda não é possível cobrar exatamente por quilômetro percorrido.
 
2. Como é estabelecida a tarifa de pedágio?
A base tarifárica em cada praça varia dependendo da distância entre as praças e o tipo de pista - simples ou duplicada - e os acessos municipais existentes. O valor da tarifa varia de acordo com a categoria do veículo, sendo calculado de acordo com o número de eixos que ele possui. Nas rodovias do Estado de São Paulo, a data-base do reajuste é 1° de julho. O contrato do 2° lote de concessões, do qual a CART faz parte, prevê reajuste anual no valor da base tarifárica pelo índice do IPCA dos últimos 12 meses. 
 
3. A CART repassa receita aos municípios?
A CART deixa na região parte da sua receita operacional através de repasse do ISS - Imposto Sobre Serviços - sobre a arrecadação de pedágios, obras e serviços. O ISS é repassado aos cofres dos 27 municípios do Corredor Raposo Tavares em valores proporcionais à extensão da rodovia em cada município, independentemente de onde ficam as praças de pedágios. Esses recursos se incorporam ao orçamento geral do município, e várias cidades os destinam também à melhoria de seu sistema viário. 
 
4. Por que os motoristas de municípios próximos às rodovias também devem pagar pedágio?
As pessoas que saem da zona urbana do município para seus bairros usando uma rodovia construída pelo Governo do Estado com o objetivo de efetuar ligações entre diversos municípios e regiões devem pagar pela utilização da via como qualquer outro usuário. A cobrança de tarifa de pedágio possibilita à CART a manutenção do trecho em condições adequadas de segurança, trafegabilidade e conforto para todos os usuários, assim como a ampliação e melhoria dos trechos existentes, além dos serviços mecânico e médico.
 
CONCESSÃO
 
1. Quem fiscaliza a CART?
A Artesp - Agência Reguladora dos Transportes Públicos Delegados do Estado de São Paulo. É o órgão encarregado de fiscalizar as concessionárias e zelar pelo cumprimento das obrigações contidas no edital de licitação. É a Artesp quem calcula e divulga os valores dos pedágios.
 
2. A CART opera radares e balanças?
As concessionárias de rodovias não têm poder de polícia, de fiscalizar nem aplicar multas. O Contrato de Concessão prevê que a CART instale e mantenha em condições operacionais radares e balanças. Os pontos onde são instalados radares e a gestão dos dados são atribuições do Poder Público através do DER – Departamento de Estradas de Rodagem e da Polícia Militar Rodoviária. É importante ressaltar que as concessionárias não têm acesso aos dados dos radares, que são remetidos eletronicamente, armazenados e processados pelo Poder Público e nem aos valores arrecadados com multas. Da mesma forma, a operação de balanças é de responsabilidade do Poder Público. 
 
4. Quais as medidas a CART adota para a redução de acidentes?
As principais causas de acidentes em rodovias são decorrentes de imprudência de motoristas e de problemas com os veículos. A CART tem feito sua parte, melhorando e sinalizando os trechos de maior índice de acidentes, mantendo as pistas e a sinalização em condições adequadas. Além das medidas de segurança e do rápido atendimento aos usuários, investe em campanhas dirigidas aos motoristas e passageiros, levando programas de segurança viária aos cidadãos das comunidades cortadas pelo Corredor Raposo Tavares. As ações são realizadas de forma contínua desde março de 2009, quando a Concessionária passou a administrar o trecho.
A CART mantém o NIA - Núcleo de Inteligência de Acidentes, que constantemente analisa os acidentes que ocorrem em todo o Corredor Raposo Tavares. Sob responsabilidade do CCO (Centro de Controle Operacional), o NIA é formado por profissionais das áreas de engenharia, saúde, segurança, jurídico, desenvolvimento social e comunicação. O NIA estuda e avalia como um acidente ocorreu, observando as condições da estrada, do veículo, do clima e o comportamento do condutor. A conclusão deste estudo é levada para as rodovias, promovendo as alterações na pista e alterações na sinalização da via, quando necessário, ou aprimorando as orientações aos motoristas que a CART faz de maneira contínua e em ações nas comunidades onde atua e nas suas publicações oficiais.

 

Missão, Visão e Valores

Para que existimos?
Prestar serviços eficientes na operação do Corredor CART, gerando resultados crescentes e sustentáveis para a sociedade, clientes e acionistas.

O que queremos em 2020?
Ser o caminho preferido de pessoas e empresas.

Nosso jeito de ser
- Segurança em tudo o que fazemos
- Respeito, ética e transparência em todas as nossas relações
- Atitude de dono
- Empreendedorismo e inovação
- Orientação para resultados
- Desenvolvimento de pessoas e trabalho em equipe
- Responsabilidades social e ambiental